<$BlogRSDUrl$>

sexta-feira, janeiro 28, 2005

Salvem-me!!! 

Sandro Botticelli, The Story of Nastagio degli Onesti

|

quarta-feira, janeiro 26, 2005

O desencontro 

A Criação do Sol, da Lua e das Plantas de Miguel ÂngeloSabiam vocezzz que, quando se não sabe qual, exactamente, o dia (ou melhor, a noite) de lua cheia, existe um método para o descobrir? Pois bem, reparem que nesse dia o sol e a lua não se cruzam! Ora, e se estar vivo é o contrário de estar morto, quando o sol e a lua não se encontram, desencontram-se - não é???
Pois só ontem é que eu me apercebi o que os Mercado Negro queriam dizer com o desencontro entre o sol e a lua. Às vezes a nossa cabecinha não pensa...


O Sol e a Lua
Combinaram um dia um encontro
Porque se dizia
Completavam-se um ao outro
O Sol, teimoso como sempre
Nasceu repladescente
Disposto a conquistar
Pensando que em qualquer rua
Estaria a Lua para o abraçar
Mas a Lua não apareceu
E no canto do céu
O Sol se deteu
Sozinho, triste e distante
Foi cantando esta canção:
Oh Lua!
Não me ligas nenhuma!
Oh Lua!
Não me ligas nenhuma!

Mercado Negro

|

domingo, janeiro 23, 2005

Eu, ninguém 

António, Vaca SériaTenho pensado em ti. Hoje já me lembrei de ti mais de 30 ou de 30.000 vezes. Imagino-te também a pensar em mim, mas não consigo alcançar nem o modo nem o número.
Sei que nem sempre consigo engolir sapos e raramente sinto necessidade de ser independente como um gato. Sou mansa como um cão, mas em vez de comida e sítio para dormir, apenas peço amor e dedicação. Não gosto de voar muito alto, contudo, há que sonhar e ter a convicção de que se temos asas é para alguma coisa. Preciso de calor para ter energia, tal como a cobra, mas jamais fui ou serei venenosa como as suas dentadas. Às vezes sou um pequenino insecto que não disfruta dos manjares dos abutres: ando por lá, ouço e guardo para mim a certeza de que não quero ser assim. Não me importo de ser burra de carga, trabalhar bastante, desde que a palha seja boa e que nos dias de descanso vire um cavalo à solta pelos prados de luz.
Se em vez de humana eu tivesse nascido para virar picanha, tudo seria bem mais saboroso (na tua vida).

eu ninguém
eu ninguém comigo só
posso ser
travesti de quem quiser
manequim de bazar
ou rainha do lar
madame butterfly
barbie suzie dolly polly pocket

tudo bem
mas eu posso ser também
emanuelle
lady miss mademoiselle
num harém meretriz
ou apenas actriz
o espelho me diz
gueixa vénus eva dama virgem mãe

é que eu sei
o que eu sou e o que não sou
mas é claro
o que eu for eu sou
sem ninguém
só o que eu tenho a saber
é quem de nós cem
hoje eu vou ser

sei lá sei lá


Clã, Eu Ninguém

|

sexta-feira, janeiro 21, 2005

Cortes e curtes 

E agora, só mesmo a correr, uma notícia de última hora: hoje vou pós copos!!!
Ai, e ainda mais uma: hoje cortei o cabelo!..

Somando toda esta emoção, dou conta que hoje será uma noite de copos com novo visual!...

|

terça-feira, janeiro 18, 2005

Ao menos aqui! 

Bem, deixemo-nos de merdas! Aqui estou eu, são 22.59 da noite.
Morrem primos, não há possibilidade de ir ao funeral. Dá-se aulas e mal se tem tempo para preparar as outras. Vêm os tios de visita e vai-se tentar, depois das 19.30, fazer 70 km para lhes dar o beijinho. Querem uma base de dados completa, dão-nos prazos mas esquecem-se que eu faço outras coisas além disso. Quero tirar o stress com um pouco de amor e algum sexo à mistura mas agora deu-lhe na cabeça que há alturas no mês a evitar. Fiz sopa, não tenho tempo para a comer. Querem formação, mas eu não tenho horário compatível para dar. Querem que vá buscar livros à biblioteca (é mesmo em frente), mas eu tenho menos tempo que a pessoa em questão. Tenho que ir trocar um livro ao Continente, mas ainda nem sequer lá fui comprar comida. Gasto o que não tenho em nada que se veja e ainda me dizem para usar a contenção. Foda-se! E se fossem todos apanhar nos cornos?!? Peço desculpa pela malcriadice, mas que ao menos aqui eu tenha liberdade e tempo para dizer o que me apetece!!!

|

domingo, janeiro 16, 2005

Principe encantado 

Joyce TennesonPor que é que eu te amo se não me deixas dizer que te amo? Eu amo-te. Amo-te quer queiras ou não, quer me ames ou não, quer nunca mais me beijes ou não - amo-te.
Amo-te sem disfarçar, amo-te há já tempo - sem precisar -, e vou-te amar mesmo no tempo que tu queres tirar para que eu deixe de te amar.
Se expludo, tenho as minhas razões... é que não faz bem a quem ama dar um abraço e ser expulsa do seu regaço, ou melhor, não faz bem a quem ama não se sentir amado!
Contra isso, não posso fazer nada, que o meu rico coração será sempre pobre para quem não lhe pode dar o devido valor, perdão, amor. E agora? Agora, que descobri que o meu coração não é de pedra porque por ti chorou, não usarei mais o verbo amar, para não o gastar, que muito medo de o ouvir tem quem não o usa por ter medo de sentir. Mas minto, e digo-te só mais uma vez, amo-te.

|

sábado, janeiro 15, 2005

Ontem aconteceu. Estava a dançar, olhei para o lado e lá estava ele. Gostei do que vi. Há muito que não reparava em certos pormenores que me saltaram à vista e que me fizeram continuar a dançar, a mexer-me mais e melhor. A música era sensual, inesperadamente perfeita e de tremendo encaixe. Nervosa, empolgada, deixei-me levar pela excitação até à sua cama e hoje, quando acordei naquela casa vazia sua, depois de uma noite, afinal, vazia de si, quis saber por que era permitido ter que aguentar as saudades e não o ter sempre perto de mim.

|

Utopicando!.. 

Se as coisas são inatingíveis... ora!
não é motivo para não querê-las.

Memory

Que tristes os caminhos, se não fora
a mágica presença das estrelas!

Das Utopias, Mário Quintana

|

quinta-feira, janeiro 13, 2005

Olá miúda! 

Vahan,- A professora hoje vem muito chique...
- Oh, que disparate!!! Porquê?
- Vem aí toda arranjadinha!
- Arranjadinha? Então eu até venho de sapatilhas e dizes que venho toda arranjadinha?
- Eu acho que sim, professora! Mas, se estivesse cá o Rúben, ele é que diria mesmo que a professora vinha toda bonita!!!
- O Rúben, porquê?
- É porque o Rúben gosta de si...
- Ai é? Então e vocês não gostam?
- Sim, mas ele gosta ainda mais...




Bem que a cartomante me disse que surgiria na minha vida um homem com muitos carros...

|

terça-feira, janeiro 11, 2005

Ainda por cima 

Nem sequer tenho tempo para mudar a musiquinha. Peço, a todos que já estão fartos, que aguentem mais um bocadinho porque um dia eu hei-de lá chegar!!!

|

Eu estou por aqui!!! 

Pascal Renoux, Elise (sourire)

Hey, eu estou aqui!!!
Não tenho dado muita atenção a algumas coisas que gosto de fazer, mas continuo "aqui".
Até breve!!!

|

sexta-feira, janeiro 07, 2005

Espáduas brancas palpitantes 

Vladimir Clavijo-Telepnev
Espáduas brancas palpitantes:
asas no exílio dum corpo.
Os braços calhas cintilantes
para o comboio da alma.
E os olhos emigrantes
no navio da pálpebra
encalhado em renúncia ou cobardia.
Por vezes fêmea. Por vezes monja.
Conforme a noite. Conforme o dia.
Molusco. Esponja
embebida num filtro de magia.
Aranha de ouro
presa na teia dos seus ardis.
E aos pés um coração de louça
quebrado em jogos infantis.


Natália Correia, Auto-retrato















|

quinta-feira, janeiro 06, 2005

Ó Mã, vais deixar-me ao Deus-dará... 

Ou seja, vais para Omã e deixas-me aqui sozinha...

Pascal Renoux, os seus Olhos

|

quarta-feira, janeiro 05, 2005

Ó Juliana, ao meu colo, não! 

Ó Juliana...Esta é a primeira vez em que tenho um tempinho para estar à vontade na net e dar um cadinho de tempo aos Atalhos e Atilhos...infelizmente, surge sempre algo e lá tenho eu que atender ao meu estômago!
Só tenho possibilidade de dizer que hoje dei aulas a garotos de 3 e 4 anos no Centro Paroquial e temo pela minha saúde!!! Não, por favor, não temo pela minha saúde mental, que eles não são capazes de me dar cabo dela, muito pelo contrario - parece que entro no céu com tanta pureza... Falo é da menina Juliana a chocar uma gripe sentada ao meu colo!
Depois, vim dar uma aula de FrontPage aos meninos bem - que educação, que simpatia, que evolução, que diferença...
Bem, adeus.

|

terça-feira, janeiro 04, 2005

Tempo a menos 

O Eye perguntou-me como eram as minhas colegas de casa, eu eu disse-lhe: são medonhas... Não sei se estou lá muito contente com o quarto que arranjei, mas tembém nem tenho tempo para pensar nisso. Ando a correr todo o dia, o cérebro quase explode com tanta informação, dou aulas aqui e acolá, vou ao cinema ver as tristezas dos curdos do Irão, volto para casa e aqueço-me enquanto o aqueço (ehehehe), acordo cheia de frio, ainda não tenho comida em casa, tenho que lavar roupa, arrumar o quarto, e..... vou flipar!
Mas, tá-se bem!!! O que a gente quer é energia, boa-vontade, uma boa capacidade de improvisação e um sorrizinho nos lábios...

Já agora, sabem porque é que os homens pensam tanto e as mulheres falam demais?

|

domingo, janeiro 02, 2005

Vou a caminho 

...e a minha vida é mais curta que a luz das estrelas.

Jeffrey Becom, Hammock, Rio Lagartos, Yucatan, Mexico, 1994


|

É pra amanhã... 

Estou de partida, pela sexta vez em 9 anos e, para variar, estou meia tristonha.
Amanhã começo a trabalhar. Arranjei quarto no prédio ao lado do centro para onde vou. As vistas são magníficas e a localização excelente. O quarto não é grande espingarda, mas tenho uma cozinha fantástica. O pior é a internet, mas esta semana tratarei de a instalar, sem falta! Jeffrey Becom, Escada e TouroAs minhas companheiras de casa, que ainda não conheci, vêm do Brasil e de Espanha e, pelas garrafas de vinho que vi, devem ser porreiras...
Grandes mudanças... começo o ano com uma vida diferente, para melhor, concerteza. Mas, então, porque estou eu assim? E agora, porque sei a resposta faço uso dela: estou assim porque sou uma toura resistente às mudanças e porque os amores, ai meus os amores que tanto amo, são resistentes a mim...


Mais uma vez
ando às voltas,
tento percorrer o tempo
como ele me percorre a mim,
sozinho,
com medo,
longe do mundo,
mudo,
com vontade de gritar...


Daniel Camacho



|

This page is powered by Blogger. Isn't yours?