<$BlogRSDUrl$>

segunda-feira, setembro 05, 2005

PODER (-se-ia fazer muito mais!) 

Dir-se-ia que a civilização moderna é incapaz de produzir uma elite dotada simultaneamente de imaginação, de inteligência e de coragem. Em quase todos os países se verifica uma diminuição do calibre intelectual e moral naqueles a quem cabe a responsabilização da direcção dos assuntos políticos, económicos e sociais. As organizações financeiras, industriais e comerciais atingiram dimensões gigantescas. São influenciadas não só pelas condições do país em que nasceram, mas também pelo estado dos países vizinhos e de todo o mundo. Em todas as nações produzem-se modificações sociais com grande rapidez. Em quase toda a parte se põe em causa o valor do regime político. As grandes democracias enfrentam problemas temíveis que dizem respeito à sua própria existência e cuja solução é urgente. E apercebemo-nos de que, apesar das grandes esperanças que a humanidade depositou na civilização moderna, esta civilização não foi capaz de desenvolver homens suficientemente inteligentes e audaciosos para a dirigirem na via perigosa por que a enveredou. Os seres humanos não cresceram tanto como as instituições criadas pelo seu cérebro. São sobretudo a fraqueza intelectual e moral dos chefes e a sua ignorância que põem em perigo a nossa civilização.
Alexis Carrel, in 'O Homem esse Desconhecido'

Criança Geopolítica Assistindo ao Nascimento do Novo Homem

Criança Geopolítica Assistindo ao Nascimento do Novo Homem, Salvador Dali

|

sexta-feira, setembro 02, 2005

Ausência 

Nem por sombras algum dia pensei que me faltaria a vontade de escrever, de procurar arte, de me entusiasmar com a busca da novidade, com a beleza de dentro e com a de fora. O que sinto é um vazio de sentimentos, uma bruta escassez de sensibilidade que embate sem dó nem piedade em quem não quero deixar de ser. Temo jamais emergir desta escuridão, desta quase profunda inacção perante o mundo que sempre julguei cheio de cores e cheiros e risos e tambores e mais alguma coisa que agora já não me lembro.

E o que mais me aflige é eu não morrer por isso.

Maggie Taylor, Twilight Swim
*Maggie Taylor, Twilight Swimming

|

This page is powered by Blogger. Isn't yours?